skip to Main Content

Dá pra competir com a publicidade?

Caríssimos,

Este é o último vídeo da série ‘Consuming Kids’, que fala sobre o consumismo na infância. Os demais vídeos da série estão aqui no blog, basta procurar na nossa barra de ferramentas ali, à direita!

O texto abaixo serve como alerta, e ajuda a entender o que se passa no vídeo:
“A profusão de imagens de publicidade na televisão carregadas de voluptuosidade e destinadas à infância erotiza o corpo e as atividades das crianças ao ponto de identificá-las com um modelo adulto, sensual, desejável, ideal que elas não só aspiram a reproduzir, como têm de cultivar, mediante objetos-produtos culturais – roupas, perfumes, sabonetes, tatuagens, bijuteria, forma física, dietas específicas para o atual padrão de beleza.
Em face dessa uniforme postura social, a criança reage inteligentemente: cria sintomas no corpo, rejeitando o modelo social inatingível e inapreensível que lhe foi destinado. A resposta das crianças não para. 
São frequentes os transtornos corporais, anorexia, bulimia, obesidade, estresse, violência, hiperatividade, déficit de atenção, insônia, problemas no desenvolvimento psicomotor e no esquema corporal, para mencionar apenas alguns, que exigem a atenção de médicos, psicólogos, educadores, pedagogos e todas as especialidades que os próprios sintomas criam e alimentam.”
[Adaptado de Levin, 2007. ‘Rumo a uma infância virtual?’]
This Post Has 2 Comments
  1. Rodrigo:

    1 – Teus comentarios me lembram a Weiss. Professor de Educacao Física, aluno de Freud, que desenvolveu a prática psicanalítica de um jeito muito versátil, assim como o Inconsciente é versátil. As cartas dele com Freud sao interessantes. O ponto fraco de Weiss era que nao entendia bem a transferencia quando ficava muito passional.

    2 – O COMENTARIO no Blog: acho que a nota reflete que o autor nao entende bem o paradoxo da pós-modernidade onde as criancas, como os adolescentes, se assimilam à tecnología para, desse lugar, ridicularizar, ofender e sacanear aos adultos.

    Um Abraço

    Jorge

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Back To Top