skip to Main Content

A vida como ela é

Prezados Torcedores Responsáveis,

Abaixo, os resultados da 4a e última rodada da Copa Futsal 2011:

Holanda 5 x 2 Croácia

Peru ** x ** Colômbia [w.o. duplo]
Ucrânia 0 x 2 França [w.o]
Equador 1 x 10 Argentina
México ** x ** África do Sul [w.o duplo]
Japão 2 x 0 EUA [w.o]
C. Marfim 3 x 1 Trinidad & Tobago
Gana 2 x 8 Tunísia
***
Comentários:

> A Holanda é a nossa representante na fase semifinal da competição, que será dia 27/11. A colocação final das demais equipes sairá amanhã, e vou postar aqui no blog. Posso adiantar que devem ter ficado bem colocadas a Costa do Marfim, a Ucrânia e Gana. Nas posições intermediárias, o Japão. E, nas posições mais abaixo, México, Equador e Peru.

> Nunca havíamos levado ‘w.o’ (quando não há número mínimo de jogadores na equipe) em 06 anos de competição – o que era motivo de orgulho pra nós. Bem, algo aconteceu que, num só dia, havia 03 equipes nossas incompletas. Compreendemos os motivos de todos, uma possível desatenção, dificuldade de comunicação, etc. Mas foi bastante chato e, inclusive a Ucrânia, que vinha numa campanha excelente, perdeu preciosa chance de passar à semifinal por conta disso. Devemos evitar isso a todo custo. De verdade, desestimula os colegas presentes.

>  Nosso trabalho no Clube é ENSINAR FUTSAL. Isso está sendo feito. Vem sendo feito há 10 anos. A outra parte do trabalho é proporcionar um espaço-tempo garantido para o BRINCAR. Isso também está sendo feito. Então, quando os alunos, após os jogos, nos falam com gosto de suas aprendizagens, nos demonstram isso nos treinos e jogos, e são capazes de discursos maduros como: “Não estava conseguindo ajudar na marcação, acho que prejudiquei a equipe“; “A equipe cansou e não conseguimos manter o ritmo“; “Conseguimos virar a partida quando mudamos o posicionamento em quadra“, tudo isso corrobora o quadro de uma experiência geral positiva do desporto.
> Ganhamos 04 títulos nos últimos 02 anos; desde 2007 que em todos os anos temos representantes nas finais da competição (mantivemos a tradição neste ano, com a Holanda); e, sinceramente, mesmo que assim não tivesse sido, isso não é o mais importante. A experiência da competição está sendo proporcionada. Com planejamento e segurança. Com possíveis falhas, erros, como não? É a vida como ela é

> Mas nada me convence do contrário: queixas de arbitragem, tamanho de jogadores, erro do treinador… Tudo isso é muito mais nosso, do nosso narcisismo adulto (professores e pais), do que das crianças e jovens. Eles me mostram a cada dia que querem é jogar. E, se nós não atrapalharmos muito, vão superando as dificuldades numa boa, com a maior naturalidade, que às vezes até desconcerta algum discurso perfeccionista nosso. Basta saber escutar… 
*Parabéns a todos os que participaram, obrigado às famílias pelo apoio, pelo comparecimento e, quem quiser criticar, elogiar ou sugerir, ou simplesmente relatar uma experiência, é simples: deixe um comentário público nesta postagem, com a elegância que nos é peculiar.
Aquele abraço, saudações esportivas

This Post Has 11 Comments
  1. Em 2009, ouvi falar do Professor de Futsal Rodrigo do Clube Militar, entre os pais da Corcovado onde meu filho estuda. Ouvi falar muito bem do seu trabalho e através de outras fontes de amigos também. As recomendações eram as melhores: de ser um trabalho sério, individualizado por isso as turmas são pequenas, que busca passar valores humanos como respeito, cidadania, além das técnicas do Futsal. Coisa rara nesse meio, mas nas aulas do Rodrigo o palavrão leva cartão vermelho!
    Assim, no final do ano de 2009 busquei uma vaga para meu filho para o ano seguinte, já que tinha alguns amigos jogando na escolinha de Futsal e, qual foi minha surpresa que precisava aguardar uma desistência para abrir uma vaga. O ano virou, 2010 chegou e ninguém desistiu! Ficamos no banco! Tivemos que aguardar 1 ano para o Igor entrar em campo… Mas valeu a pena, o seu desenvolvimento em 2011 foi fantástico, sobretudo nas relações sociais, na integração com os colegas e buscando fazer seu melhor.

    Antes ele era tímido quando chegava nos lugares e se esquivava de jogar por não se sentir autoconfiante. Hoje, faz questão de levar as chuteiras e bola onde vai, pede para jogar sem inibição!

    Agradeço ao Rodrigo e equipe pela atenção especial e por fazer o Igor tão feliz.

    Forte abraço, Adriana

  2. Rodrigo, Tiago,

    vocês sabem como Francisco e Antonio adoram futebol. Se tem algo importante neste amor ao esporte é o exemplo de vocês. Exemplo de verdade, competitividade com lealdade e sobretudo respeito às regras e aos resultados, sejam eles quais forem. Ganhar é bom sim, mas não é o mais importante. É uma lição dura de aprender neste mundo em que o exemplo de vencer a qualquer custo está em todos os lugares. No futebol, como na vida, jogar e se divertir é o fundamental. Grande abraço, obrigado, Ricardo.

  3. Foi mesmo uma pena o WO ,mas o João curtiu muito participar do campeonato e te acho um professor muito bacana e sensível com as necessidades dos alunos que é ´jogar´ – respeitando o parceiro.

    Bj e bom feriado, paola

  4. Olá Rodrigo,

    Acredito em uma maneira infalível de verificar se uma criança está satisfeita: o brilho nos olhos!
    Nós, adultos, sabemos o quanto nos custa competir. Não me refiro apenas as competições "oficiais" mas também aquelas silenciosas e camufladas.
    Foi a 1ª vez que meu filho participou da Copa de Futsal.
    Tive o prazer de ver estas crianças correndo, suando, sorrindo, chorando, ansiosas, assustadas, felizes, se surpreendendo, se emocionando, enfim participando!
    No dia seguinte estavam prontas para mais uma aula, mais um jogo, mais uma vitória e porque não, mais uma derrota… a vida como ela é.
    Parabéns a você e ao Thiago pelo trabalho que realizam e que certamente contribui para que estes olhinhos sigam brilhando!
    Obrigada,

    Andréa mãe do Heitor Martinelli

  5. Rodrigo,

    Nos é que agradecemos a vc por todo seu conhecimento, comprometimento e dedicação ao time.

    Vitor se passou a gostar e jogar futsal foi por sua causa e todos os campeonatos foram trazendo tb outros aprendizados de vida.

    Sempre admirei muito o seu trabalho e seu exemplo para os meninos e, entao, mais uma vez muito obrigada por tudo!

    Agora, Vitor vai jogar pela AABB e se despedir do Club Militar, mas com certeza vai sentir saudades!

    Abraços,
    Claudia Vasquez

  6. Rodrigo,
    gostaria que você reportasse aos pais dos alunos-atletas, que não compareceram no jogo de sábado, 5, nossa decepção pelo cancelamento do jogo Ucrânia x França. O Julio, João e Eduardo ficaram muito chateados. Os três ficaram o tempo todo olhando o corredor na expectativa de que os colegas chegariam em tempo de ainda competir. Foi muito frustante para eles e para nós pais.

    Imaginamos que algo importante pode ter impedido o comparecimento dos outros alunos-joagadores, mas mereceríamos – você, os alunos-atletas e nós, os pais – pelo menos receber um telefonema avisando sobre a ausência.

    Fica aqui um apelo para que sejamos mais comprometidos com esse belo trabalho da sua equipe, que com competência e dedicação, promove esses momentos aos nossos filhos.

    MÁRCIA SANCHES

  7. Ola Todos…segue um belo poema que prepresenta este prazer lúdico de jogar bola..que só quando se é menino se entende, pois depois amadurecemos e tornamos tudo muito concreto e exigente.

    O GOL e os Meninos…

    Os meninos
    Que jogam à bola na minha rua
    Jogam com o Sol
    E os pés dos meninos
    São pés de alegria e de vento
    A baliza uma nuvem tonta
    À toa
    Na luz do dia
    E eu olho os meninos e a bola
    Que voa
    E ouço os meninos gritar . Go…o…olll!
    E não há perder nem ganhar
    Só perde quem os olhos dos meninos
    Não puder olhar.

    Autora: Matilde Rosa Araújo,professora portuguesa,poetisa,escritora de contos para jovens

  8. Caro Rodrigo Agradeço o prazer de poder ter vivido estes ótimos momentos de torcedor Ver estes meninos competindo com graça e felicidade não se paga ..!! Obrigado por proporcionar estes bons momentos !! Mario Braile (Pai do Rafinha)

  9. Oi Rodrigo,
    com certeza aquele jogo valeu como aprendizado. Ontém na aula foi muito legal, por que o Tiago conversou com o grupo a respeito de jogo e cada um dos jogadores relatou para a turma o que aprendeu com o acontecido. Você precisava ver a garra e a vontade com que eles jogaram ontém. Nada como um dia após o outro.
    Bjs e melhoras,
    Letícia

  10. Oi Rodrigo,
    apesar do desempenho abaixo do que esse time poderia ter apresentado, valeu a experiência para eles perceberem que não se pode ganhar todas, ainda mais se cada um não desempenhar bem o seu papel dentro de quadra. Victor ficou arrasado, mas consciente dos erros que cometeu e de que poderia ter feito melhor. Nada como um dia após o outro. Dessa vez eu tirei poucas fotos, mas serve como registro.
    Bjs e boa semana,
    Letícia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Back To Top