skip to Main Content

Competindo em 2023

Caros/as,

Chegando próximos à metade do ano, temos por costume situar o trabalho da equipe junto às famílias – em especial porque estamos entrando no período de competições.

Assim, cabem aqui algumas palavras sobre as faixas etárias e os processos que vão se desenrolar nas próximas semanas e meses:

Turmas de 05 a 07 anos: É nossa primeira faixa etária atendida. Nela, não há competições ditas oficiais. Dessas, com medalha, dia especial etc. Em nossa metodologia, a própria competição inerente aos treinamentos já é o estímulo adequado à idade. Ganhar, perder, discutir com um colega, alegrar-se com um golaço, tudo isso encontra destino nas aulas, no cotidiano.

As brincadeiras que permitem à criança amadurecer, em termos de saúde psicomotora, são consideradas essenciais como solo para o desenvolvimento de habilidades próprias do jogo Futsal: condução de bola, passes, finalização, noções elementares de ataque, defesa e localização no espaço.

As competições das turmas mais velhas são anunciadas nas turmas, e os alunos/as convidados/as a comparecer para assistir. É importante poder ver como é, imaginar-se jogando com ginásio cheio, ganhando uma medalha… Quem sabe até já se preparar para aquele frio na barriga!

 

Turmas a partir de 08 anos: O período competitivo começou a ganhar espaço nas próprias aulas. Dentro de cada turma, ao longo do mês de maio, está sendo disputado o tradicional Torneio À Vera – onde, nas aulas regulares, as turmas estão divididas em equipes, disputando pontuação em cada treino.

É um simulacro para os dias oficiais, pois ali já existe uma situação competitiva mais concreta: vale pontos; o amigo que não veio na aula faz falta e vou ter que jogar mesmo assim; pode-se levar uma goleada num dia, e devolvê-la no outro, sempre jogando pela mesma equipe.

A sofisticação das habilidades e estratégias em cada nível (sub-8, sub-10, sub-12, sub-14) vai ganhando corpo e forma, e cada vez mais existe a exigência da transferência de aprendizagem – do treino, para a execução em situação de pressão competitiva.

Assim, os próximos passos previstos são o Torneio Interno (um dia específico valendo troféu, disputado pelas diversas turmas do clube num final de semana a ser anunciado em breve); e a Copinha do Mundo de Futsal, principal competição do ano que reúne instituições amigas ao longo dos meses no segundo semestre.

***

Nós gostamos de competir. Acreditamos que a competição pode proporcionar um amadurecimento necessário e benfazejo para crianças e adolescentes.

O que acontece é que, em muitos lugares, o momento competitivo (especialmente no futebol) tem se tornado um tormento: ambiente violento, cobranças desproporcionais e até briga entre familiares na arquibancada.

Para separar o joio do trigo, nossa proposta se baseia em dois pilares:

1) Equipar a criança para as competições, fazendo tudo de maneira gradativa. Uma primeira faixa etária sem dia especial para competições, nem pressa para isso; na fase posterior, um começo dentro da própria turma, se ambientando com as novas exigências; o enfrentamento de outras turmas do clube, com pessoas diferentes; até o enfrentamento com outros clubes.

Além disso, a aposta numa plasticidade emocional, pois dentro dessa progressão conseguimos acompanhar melhor como cada indivíduo e cada grupo estão encarando a caminhada. Entendemos por plasticidade emocional a capacidade de lidar com coisas simples que podem ser muito dolorosas, como perder uma partida, um campeonato; como relacionar-se com os colegas de equipe e as exigências dos treinadores, a expectativa da família…

2) Sustentar um ambiente saudável, trabalhando junto às famílias ao longo de muitos anos os parâmetros éticos não só dos alunos, mas também da arquibancada. Poder torcer, alegrar-se, explodir de alegria – permanecendo, no entanto, no lugar do torcedor/a. Sem competir com o treinador, nem com o juiz e muito menos, evidentemente, destoando do clima de camaradagem que já faz parte dos nossos torneios.

 

Progredindo aos poucos com os craques mirins e ajudando a sustentar um ambiente saudável, a competição é muito bem-vinda e possibilita ótimas ferramentas de aprendizagens desportivas, corporais, emocionais e sociais.

Contamos, assim, com aquele calor da arquibancada que, em breve, será convocado!

Aquele abraço, saudações esportivas

This Post Has 0 Comments

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Back To Top