skip to Main Content
Copinha 2019: Resultados Da 4a Rodada

Copinha 2019: Resultados da 4a Rodada

Prezados Torcedores Responsáveis,

Seguem, abaixo, os resultados e comentários da 4a Rodada desta incrível Copinha do Mundo 2019:

Suíça 4×1 Dinamarca (sub-14)

A Suíça fez excelente partida. Dominou as ações do jogo e, mesmo após sair em desvantagem no placar, conseguiu buscar o empate e a virada, com um futsal bem jogado e objetivo. Apresentamos bom repertório, alternando posse de bola, passes longos e boa movimentação. Ficamos em primeiro lugar e vamos com tudo nas semis!

 

Grécia 2×0 Camarões (sub-14)

Precisávamos de uma vitória para avançar às semifinais da competição. Sem cair na armadilha de jogar de maneira apressada, conseguimos, aos poucos, impor a forma de jogar – apostando em jogo de paciência, alternando com inteligência a armação de jogada a partir do fixo ou na ligação direta do goleiro com o pivô.  Dominando a partida, dava a impressão que o gol sairia em algum momento. E foi o que aconteceu. Já ao final do jogo, com garra e serenidade, chegamos aos primeiro com excelente giro e finalização de pivô. A equipe de Camarões ainda tentou chegar ao empate utilizando o goleiro-linha mas, num contra-ataque, novamente Pedro Pereira encobriu o goleiro adversário de cabeça e deu números finais à partida. Vamos com tudo para a semi!

 

Islândia 1×3 Inglaterra (sub-12)

Após fazer bom primeiro tempo e terminar vencendo por 1 a 0, a equipe da Islândia não conseguiu manter o ritmo de jogo e levou o gol de empate no primeiro minuto do segundo tempo. A virada da Inglaterra veio na sequência – entretanto a Islândia foi aguerrida, criou chances mas não conseguiu converter em gols. No final do jogo levamos o terceiro, dando números finais à partida. Um dado fundamental a ressaltar: nosso time não fez um jogo sequer com todos os jogadores, completo. Faz muita diferença, é preciso ficar atento a isso ao se inscrever na competição.

Costa do Marfim 0x3 Japão (sub-12)

Não conseguimos o número mínimo de quatro jogadores para disputar os pontos, logo perdemos por WO. Com alunos emprestados da Islândia, realizamos uma partida amistosa, para que os comprometidos jogadores que compareceram, mesmo eliminados, fizessem seu jogo. Sem entrosamento e com certo desinteresse depois de ser surpreendida com uma derrota por WO, a equipe foi batida pelos japoneses. Agradecemos, assim, o compromisso dos jogadores presentes, esperando que em 2020 tenhamos uma melhor participação!

Coréia do Sul 2×4 Austrália (sub-10)

Foi dolorido. Entramos em quadra com o limite de jogadores (cinco), sem banco de reservas. Um querido craque do time, no entanto, ficou muito nervoso nesta partida decisiva e não conseguiu entrar em quadra, deixando a Coréia com um jogador a menos durante todo o jogo (essas coisas acontecem em jogos de criança). Ainda assustados com a situação, fomos surpreendidos na primeira jogada e levamos um a zero. A partir daí conseguimos nos recuperar e passamos a comandar as ações (!), jogando com muita bravura! Nos lançamos ao ataque corajosamente e, assim, os espaços surgiram para o adversário, que abriu três a zero em contra-ataques.

No segundo tempo, foi conversado com os jogadores a importância de jamais abandonar uma partida, e eles deram uma aula de resistência, empolgando o ginásio até fazer dois gols com o artilheiro Francesco! Ainda enlouquecemos a torcida com uma chance de empate – tudo isso com um a menos em quadra, já pensaram?! Ao final, exaustos, levamos o gol definitivo em contra-ataque. A Coréia saiu de quadra aplaudida pela excelente participação na competição, pela coragem e pelo ótimo futsal apresentado, rigorosamente, em todas as apresentações!

Egito 6×2 Holanda (sub-10)

O Egito começou avassalador! Executamos com esmero nosso plano de jogo. Daniel Baptista, em tarde inspirada, estava ligado em altíssima voltagem, construindo muitas oportunidades pela ala. A jogada de segunda trave, treinada ao longo das semanas, foi muito bem executada e assim, criando tantas oportunidades contra a perigosa equipe da Holanda, gol após gol, chegamos ao placar elástico de 5×0 antes do fim do primeiro tempo! Conseguimos rodar bastante a equipe sem perder nossas características, e os jogadores mostraram maturidade para fazer um jogo cheio de detalhes. Classificação garantida e muita animação para as semifinais da Copinha!

Costa Rica 3×2 Marrocos (sub-10)

Fizemos bom início de jogo, propondo as ações de acordo com os treinamentos. Levamos, no entanto, dois gols em falhas individuais, mas foi lembrado à equipe que ainda assim tínhamos o controle da partida, e que um gol poderia mudar tudo. Assim, diminuímos em gol de pênalti de Tiago Azevedo, que cumpria ótima atuação e levava o time à frente. Empolgada e com maior volume de jogo, a Costa Rica foi com tudo pra cima de Marrocos, conseguindo linda virada e merecida vitória – para alegria da arquibancada! Ótima despedida da competição!

Espanha 2×3 Chile (sub-8)

Os bravos jogadores da Espanha fizeram seu último jogo com a mesma garra e comprometimento que mostraram em todos os jogos. Colocando o pé firme, não fugindo das dividas e sem se desesperar no resultado adverso, fizeram sua melhor partida na competição contra o forte time do Chile. Começamos na frente mas acabamos permitindo a virada. Quando o jogo estava 2×1 para a equipe adversária e conseguíamos pressionar, acabamos levando gol após lateral invertido em falha da arbitragem. No pedido de tempo, deixamos claro para os jogadores que erros acontecem no jogo, sejam eles de árbitros, treinadores ou jogadores, e o que importa é seguir. Ainda conseguimos mais um gol e tivemos a chance do empate, mas não conseguimos…

É sempre muito difícil sair de um torneio sem marcar pontos, mas o comprometimento, a garra, o aprendizado e a evolução dos jogadores da Espanha encheram o Chutebol e a arquibancada de orgulho! Valeu, Espanha!

Sérvia 6×1 Colômbia (sub-8)

Começamos perdendo numa falha de posicionamento, mas a equipe não se abalou: tratou de colocar a bola no chão, acertar o posicionamento e, com naturalidade e talentos individuais, virou a partida com uma atuação esfuziante! A Sérvia é um time muito solidário e amigo, e isso faz diferença. A partir daí, controlamos totalmente as ações, sem dar chances ao adversário, que resistia como podia. Vamos brigar pelo título na última rodada! Parabéns pela linda vitória!

Itália 1×0 Bélgica (sub-10)

Entramos em quadra sabendo que bastava uma vitória simples para nos classificar às finais. A conversa foi no sentido de construir o placar sem afobação, colocando em prática nosso plano de jogo – e assim foi. Dominando as ações, perdendo oportunidades como de costume, a Itália fez um golaço com Luis Felipe (que deu chapéu no fixo e tirou do goleiro com categoria)! O adversário tentava contra-atacar e teve suas chances, mas nós poderíamos ter feito mais gols. A Itália precisa aprender a definir as partidas quando o vento sopra a seu favor mas, ainda assim , o placar mínimo nos bastava – estamos na semifinal!! A galera foi à loucura, e vai chegar juntinho na torcida!! Vamooo!!

***

Então é isso, pessoal. Jogo de criança é assim: tem de tudo. Tem aluno craque que não consegue entrar em quadra, tem time mais fraco que surpreende, tem time que fica em último, tem time que disputa título… epa! Isso tudo não é do futebol? Não é, também, do futebol profissional?

A questão que confunde os adultos é justamente essa: como viver tudo isso, que se vive nos jogos oficiais, com os cuidados que a meninada precisa? No Chutebol, a resposta possível está na foto acima – é preciso ficar junto, aconteça o que acontecer.

Mas não pode ser da boca pra fora, é preciso que eles tomem isso como verdade. Essa verdade é vivida no cotidiano, nas situações imprevisíveis que surgem nos bons e maus momentos que o esporte proporciona. Ficar junto não é só dar a mão, é se implicar, do seu lugar de adulto, para apostar neles, encorajar estes meninos e meninas e enfrentar com altivez as durezas do caminho, sem ficar procurando culpados – sejam eles treinadores, jogadores, árbitros…

O que diferencia uma competição adulta de outra infanto-juvenil, por excelência, é o objetivo: na primeira, é o resultado; no nosso caso, são as aprendizagens (corporais, afetivas, desportivas, sociais). Nisso, temos a consciência tranquila – quanta aprendizagem e evolução foram observadas nas equipes do Chutebol!

***

Ainda, na Copinha, a campanha pelo espírito esportivo alçou voo, virou tema de veículos de grande circulação com Marcelo Barreto e Juca Kfouri (confira: https://blogdojuca.uol.com.br/2019/11/a-raiz-do-problema/ ) e só nos faz dobrar a aposta: a educação esportiva é ação conjunta de familiares e professores. Fica aqui o nosso agradecimento à torcida!

Para aqueles que ficaram pelo caminho, nosso abraço e o convite para engrossar a massa!

Para aqueles que se classificaram… vamos em busca do caneco no dia 01 de dezembro!!

Aquele abraço, saudações esportivas

This Post Has One Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Back To Top