skip to Main Content

Histórias Fantásticas de Futebol (2)

‘Lugar Nenhum’

“Vai, passa a bola!”

“Vai, chutaaaa!!”

E então, acordou. Abriu os olhos e, uma vez mais, como há duas semanas, lembrou que estava em quarentena. Todos os dias nesse período, um segundo antes de acordar, sentia algo estranho.

A mãe chamava, era preciso começar a rotina: café, escola virtual, atividades virtuais, alguma brincadeira, uns games, chamadas por vídeo. O dia ia passando.

E repetia isso todo dia. Não sabia quanto tempo ia durar o confinamento.

Lá pelas tantas, pensou num plano.

***

“Vira o jogo, tô livre! Que beleza, faz!”

“É gooooool!!”

E veio aquele segundo. E decidiu não acordar. Mais ainda, decidiu não descer. Decidiu ficar jogando futebol, até que as coisas voltassem ao normal.

Os pais chamaram o menino. Deram bronca, ameaçaram tirar o game, ameaçaram de tudo. Não adiantou, ele estava decidido a não voltar.

***

Depois de tanto jogar, sentiu saudade dos pais e, vá lá, lembrou do compromisso com a escola, que era preciso fazer os deveres, passar de ano, essas coisas.

Combinaram, então, de ele passar em casa para as refeições e fazer alguns deveres, dar um chamego na família. Depois voltava para o jogo.

***

O tempo, assim, foi passando naquela quarentena.

***

A mãe, algumas semanas depois, desconfiou que estavam metidos num pesadelo, do qual o menino escapara.

Começou a bolar um plano depois que levou uma bolada, vinda de lugar nenhum.

 

(De Rodrigo Tupinambá Carvão)

This Post Has 0 Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Back To Top