skip to Main Content

Registro: Torneio Interno Junho/2017

Prezados Torcedores Responsáveis,

Seguem abaixo os resultados, fotos e comentários do nosso sensacional Torneio Interno de Junho/2017! As primeiras fotos estão em nosso álbum, no link abaixo (que ainda vai receber mais fotos!):

[Decisão por pênaltis: quem aguenta?!]


Categoria 08 a 10 anos (Capitães com*):
CampeãoTime dos Craques [Gabriel Brakarz*, Pietro, João Caminha, Rafael Garrido, J. Pedro Sloboda, Eduardo Cauduro].

Vice-CampeãoAnônimos [Luca Marques*, Nicole, Bento, Lucas Bond, Felipe Bastos, Caio Lacativa]

 


3o LugarPão com Aveia [Ravi*, Pedro Porto, Felipe Oioli, Felipe Gomes]

 


4o LugarTime Overwatch [Arthur Storino*, Miguel Mexas, Daniel Matta, Francesco, Bernardo Pessanha, Felipe Stopatto]


5o LugarSem Ideias FC [Danilo*, Caetano, Diogo, Pedro Abba, Henrique Bahiense.]

 

6o Lugar: Detonadores [Yuri*, Gabriel Junqueira, Pedro Futura, Pedro Burlamaqui, Martín, Felipe Lopes.]

 

*Premiação Especial (a cor corresponde à equipe):
Craque: Nicole
Artilheira: Nicole.
 
[Melhor goleiro: Pietro]

Melhor Goleiro: Pietro
Medalha Raça: Diogo Gavinho
 
[Nicole em ação: craque e artilheira!]
 
***
Gostaríamos de agradecer às famílias pela torcida, pelo apoio aos jogadores mirins e, sobretudo, pelo carinho com a molecada! Os esportes amadores no Brasil, em especial o futebol (e o futsal, seu primo pobre), vivem em muitos lugares uma cultura quase beligerante, violenta até – que pode fazer da competição um verdadeiro tormento ao invés de educar.
 
Nas arquibancadas do Chutebol, ao contrário, o que temos visto, além de muita torcida, é um entendimento de que, afinal, algo mais está em jogo além de vitórias e derrotas. As experiências que temos vivido, junto aos alunos, têm tido o suporte das famílias, pano de fundo essencial para as aprendizagens e os momentos mais duros de uma competição. 
 
Como é viver (e perder) uma final por pênaltis? Como é ficar com medo de entrar em quadra, atravessar esse medo e conseguir jogar? Como é arriscar tudo para vencer? Estas questões, e tantas outras, só são verdadeiramente aproveitadas quando a criança percebe que o seu entorno a apoia, para o que der e vier. São momentos que, efetivamente, podem marcar nossas vidas. Que seja para o melhor!
 

Preciso dizer, ainda, que ficamos particularmente felizes em entregar, pela primeira vez em dezesseis anos de projeto, uma medalha de craque e de artilheira para uma menina – e quem foi lá, viu: a Nicole arrebentou! Mais do que participar, seu time precisou dela. Mais do que o futebol, o mundo precisa precisar das meninas. 
O Chutebol agradece.

Aquele abraço, saudações esportivas
 
This Post Has 3 Comments
  1. É uma alegria ver os meninos competirem com tanto empenho, garra e entusiasmo, sem deixar de lado a amizade, a preocupação com o outro, o reconhecimento das qualidades dos amigos. Parabéns e obrigada à equipe do Chutebol!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Back To Top